Capítulo 34

E o idiota se borrou todo. Bom, meu papel de pai, a meu ver, está sendo exercido com perfeição. A ameaça é eminente, e se a própria mãe deles não está fazendo o trabalho dela, terei de fazer o serviço todo sozinho.
Sai do salão e fui em direção a meu carro quando ouvi a voz de Vanessa me chamando.
-Efron? –Veio correndo ao meu encontro. –Onde você vai? Ia sair sem falar nada? Tipo, só sair? –Soltou um suspiro como se estivesse cansada da pequena corrida.
-Éh... –Pensei.–Sim. Como assim “sem dar satisfação”, Hudgens? Pensei que eu fosse um cara solteiro e que não precisasse dar satisfações a ninguém. –Fiquei serio.
-E não precisa. Só deixe o seu sarcasmo para outro dia, por que hoje, por acaso, é o aniversario da Amy e do Greg e...
-Eu preciso estar aqui por que eu sou o pai deles. –Completei a frase. –Eu sei, Hudgens. Aliás, me lembro disso todos os dias. Até por que, acho que estou me saindo melhor como pai do que você como mãe, não acha?
-O que vocês está insinuando, Efron? Que eu não sou uma boa mãe?

-Não estou insinuando. Estou afirmando mesmo. E quer saber? Não me importo em criar meus filhos sozinho.  Já fiz isso antes sem problema algum, fazer de novo não vai me custar nada.
-Chantagem a essas alturas do campeonato não rola tá? Eu sou tanto mãe deles como você é o pai. Não vou medir esforços parar fazer o que for melhor pra eles e também, não vou ficar discutindo com você as condutas de como ser uma boa mãe. Sei o que estou fazendo e me considero uma ótima mãe.
-Ah! Claro, e você julga os mandar pro outro lado do oceano como “melhor pra eles”?
-Do que você está falando? –Começou a ficar nervosa.
-Não se faça, Vanessa. Você sabe muito bem do que eu estou falando. Aquele verme quer mandar os meus, meus, filhos pra Suíça e você acha isso super normal? –Comecei a me alterar.
-Olha Zac, até aonde eu sei, eles também são meus. E se você pretende seguir com essa história, tudo bem. Vamos ao tribunal e disputamos por eles. Por mim não tem problema. Só que fique bem claro que eu vou contratar os melhor advogados do sul da Califórnia pra ficar com guarda deles e se for o melhor pra eles, eu vou mandar eles até pro Japão. –Se alterou. –E não chame o meu namorado de verme. Você não gostaria que eu chamasse sua namorada de biscate, gostaria?
-Eu nem ligaria. Sabe por que Vanessa? –Me aproximei dela. –A sua opinião não importa. –Levantei as duas mãos ao ar como se realmente não me importasse. –Sabe, eu me achava a pior criatura do mundo por ter feito tudo o que fiz com você no passado. Hoje, vejo que deveria ter feito até pior. Por que uma mulher que é capaz de mandar os filhos pra outro país só pra se livrar deles e pra, é claro, poder “curtir” a vida com um pirralho que você chama de namorado, não merece ser chamada de mãe.
-EI! –Ashley nos interrompeu. –Querem parar de gritar? Dá pra ouvir lá de dentro.
-Foi esse idiota que começou. –Vanessa parecia uma criança mimada fazendo birra.
-Dá um tempo Vanessa. Não sou eu que quero me separar dos meus filhos. –Aumentei o tom. –Eu nem te reconheço mais e pelo jeito, aquela Vanessa por quem eu me apaixonei, morreu dentro de você. Agora, você se tornou uma pessoa fútil, e até mesmo insuportável. Eu tenho nojo de você.
-CHEGA! –Gritou. –Coloquem nessas cabeças que vocês não são mais adolescentes e se querem discutir, vão para um lugar fechado. Ninguém aqui é obrigado a ficar ouvindo a discussão de vocês!
-O que está acontecendo aqui?
 -Não me lembro de ter chamado o Baby Looney Tunes pra participar da conversa. A festinha de criança é lá dentro viu? –Vi a raiva nos olhos de Vanessa e a mão dela vindo com toda força na direção do meu rosto.
-VOCÊ NÃO FALA ASSIM DO MEU... –Disse descontrolada.
-Brinquedinho sexual? –Passei a mão no meu rosto agora vermelho devido ao tapa. –Confessa Vanessa! Você só está se divertindo com esse merda que ainda deve brincar de carrinho.
-Vocês já estão indo longe de mais. –Ashley pegou Vanessa pelo braço.
-Me solta Ashley! Você está me machucando! –Ainda descontrolada.
-É pra doer mesmo! –A empurrou. –Vamos sair daqui. Vá na frente. E não adianta ficar com essa cara. Estou fazendo isso pro seu bem.
(Narração – Vanessa )

-Você viu? O jeito que ele falou comigo e... –Falei segurando o choro. –Ele é insuportável.
-Toma isso. –Me entregou um comprido quando estávamos dentro do carro dela.
-O que é isso?
-É um calmante. Você está muito nervosa e isso não é bom. Daqui a pouco é a festa dos seus filhos e você precisa se acalmar.
-Por quê? Por que as coisas têm de ser tão difíceis entre nós? Será que é difícil pra ele admitir que acabou? –Limpei algumas lagrimas. –Eu não quero mais saber dele! Ele tem que aceitar isso! Eu amo o Channing.
-Ama mesmo? Vanessa, você é linda! Eu não tenho duvidas que qualquer homem nesse mundo goste de você. Você é linda. Só que é mãe. E tem que agir como tal. –Passou a mão no meu rosto. –Amiga!? Você não pode deixar um garoto tomar as decisões de uma mãe de família. Eu não acredito que você realmente queira se desfazer daqueles dois que são tão preciosos. Eu vejo você no Gregory. Ele é só uma criança e já pensa como um adulto! A Amy então? Uma graça! Tem a pureza que só as crianças conseguem transmitir. Você entende? E você pretende jogar tudo isso fora?
-Eu não pedi pra eles nascerem. Eu só queria poder ficar com o Zac sem precisar esconder nada. E quando eu vi, eu era mãe, desempregada e ainda por cima, tendo que sustentar a idéia de que as coisas tinham mudado mais eu, Ashley, eu não pedi pra engravidar, não pedi pra entrar em coma, e não pedi pra ter essa vida infernal que eu estou tendo.
-Como é que é, Vanessa? –Ashley se alterou. –Você disse mesmo o que eu ouvi? Que você não pediu pra engravidar? É isso mesmo? Pois deixa eu te falar uma coisa Vanessa, eles, os seus filhos, também não pediram pra nascer. Se você não queria ter filhos, então por que transou com o Zac sem camisinha? Sabendo que você podia engravidar? Sabendo de tudo que poderia acontecer? Sabendo que a sua vida ia mudar? Por que, Vanessa? Sabe de uma coisa? Você não merece ser mãe. Eles precisam de uma mãe e você não se encaixa nessa vaga. –Ashley saiu nervosa batendo a porta do carro com toda força.

(Narração –Ashley)

Zac estava certo. A Vanessa mudou de mais. Nem eu, que praticamente cresci com ela, a reconheço mais. Mas tudo bem, por que se ela quer viver a vidinha dela como uma adolescente para sempre, ela pode viver sem problemas. Mas eu, como tia-madrinha, não vou deixar os meus pequenos sozinhos.
Votei para o salão quando vi Zac mexendo no celular.
-Zac?! Precisamos conversar. –Me aproximei dele.
-Olha Ash, eu te amo, você é uma excelente amiga pra mim e para os meus filhos. Mas se você veio pra falar da Vanessa, pode dar meia volta. –Falou atordoado.
-Não se preocupe, não vim defender ela. Ela não merece.
-Também acho. –Guardou o celular.
-E é por isso que eu vim falar com você. Hoje, depois da festa, leve o Greg e a Amy pra sua casa. Você é pai, tem direito de ficar com eles. Vá até a casa dela e pegue todas as roupas deles. Você tem a chave né?
-Engraçado que eu estava pensando a mesma coisa. Só que eu ia levar eles pra casa da minha mãe.
-Na Itália? Ficou louco? Você pode ser caçado por seqüestrar dois menores.
-Que por acaso são meus filhos.
-Que por acaso são filhos dela também. Por mais que ela esteja fora de si, o sangue dela ainda corre nas veias deles e você não pode mudar isso. Fique um tempo com eles enquanto procuramos uma saída para essa situação.

(Na festa...)

(Narração –Zac)

Tenho que admitir, pelo menos, a decoração ficou linda! Greg e Amy sempre adoraram o Mickey, acho que desde que nasceram. E é claro, a Ash fez um lindíssimo trabalho.







Um tablóide foi montado para que as pessoas tirassem fotos e alguns fotógrafos ficariam lá a festa toda. Quando olhei, Vanessa estava lá com uma cara horrível. Não fazia questão nenhuma de disfarçar, muito menos de sorrir.
Achei que o decote estava exagerado demais, já que era só uma festa de criança. Mas, ela não perdia a pose, como sempre!
A ignorei e me concentrei na porta de entrada. Queria muito ver a entrada dos meus filhos. Eles com certeza estariam lindos.

(Duas horas depois...)

-Papai? Papai? –Amy veio correndo em minha direção. –Hoje é seu aniversario também! –Disse alegre.
-Papai sabe princesa, mas hoje é seu dia de brilhar!
Quando vi, Amy já tinha me arrastado para o centro, onde todos começaram a cantar parabéns. Fiquei tão emocionado, que não contive as lagrimas e peguei os dois no colo e os abracei forte. Pedi um microfone a Stella e Amy e Greg seguravam enquanto eu falava.
-Nossa... Eu não esperava por isso! Muito obrigado Amy –A beijei na testa. –E Greg –O beijei na testa também . –Por fazerem parte do que eu sou hoje. Queria também agradecer a todos os presentes por estarem conosco nesse dia tão especial. Queria também agradecer as vovós, Gina e Stella por me ajudarem com esses dois, a Stella, a Ashley, minha salvadora, meu irmão, Dylan, e alguém muito especial que não está mais entre nós, meu pai. Tenho certeza que ele está aqui nos nossos corações. E como ultimo agradecimento, eu juro –Todos riram. – Vanessa, por... Bom, ter me dado os meus filhos. –Falei em tom ríspido fazendo questão de olhar bem nos olhos dela enquanto falava. Tenho certeza que todos perceberam o meu tom e o meu olhar de ódio para ela. A ignorei e verei para os convidados –Queria dizer a vocês, meus filhos, que no dia do nascimento de vocês, papai ficou muito nervoso, por que eu sabia que daquele dia em diante, minha vida mudaria completamente e todos os dias, eu agradeço a Deus por ter me dado o mais lindo presente de todos, vocês dois. Eu amo vocês demais, e não vou deixar nada nem ninguém nos separar, nem mesmo o oceano. –Ninguém fazia idéia do que eu tinha me referido, mas mesmo assim, aplaudiram.
A festa se estendeu até meia noite. Greg e Amy já tinha se entregado ao sono.
-Mais já dormiram? –Mamãe e Gina se aproximaram.
-Foi um longo dia! –Sorri. –Vocês me ajudam a colocar eles no carro? –Peguei Greg no colo, que era o mais pesado.
-Deixa que eu levo. –Vanessa apareceu entre as duas.
-Não precisa, minha querida. Eu fico tanto tempo longe dos meus netos... Pode deixar que eu levo. –Mamãe disse a ela já pegando Amy no colo.
-Vai indo na frente mamãe, que eu já vou. –Falei a ela como sinal que me deixasse sozinho com Vanessa. Quando estavam longe o bastante, comecei a falar. –Vou levar os dois comigo hoje. Minha mãe quer ficar com eles e eu também, por tanto, vou tirar uma folga da empresa por duas semanas. –Fui curto e grosso.
-Mas e a escola?
-Eu tenho carro. Posso muito bem levar eles até a escola. Deixe as roupas deles separadas que amanhã mando um motoboy pegar.
-Deixe de cerimônia Zac. Você tem a chave, pode ir lá e pegar.
-Obrigado, mais não. –Tentei sair, mas ela me segurou pelo braço.
-Espere. Eu queria te pedir desculpas pelo o que aconteceu hoje mais cedo...
-Não gaste saliva, Vanessa . Nada que você diga, vai me fazer mudar de opinião a seu respeito. –Fui saindo quando parei e falei o que estava entalado na minha garganta. –Ah, antes que eu me esqueça, aproveite e brinque bastante com o seu cachorrinho viu? –Ela fez menção em falar algo, mas segurei Greg e um braço e com o outro fiz um sinal a ela.








S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2S2
Antes de tudo...
Lindas ♥ Muuuuuito obrigado pelo carinho! Eu li os comentários e fiquei muito feliz por terem gostado do capítulo... Eu também me diverti escrevendo =D Mas hoje, o capítulo foi mais pesado! Vocês vão ver que aquela Vanessa que vocês estavam acostumados, dócil, meiga e tal, vai sumir por uns tempos. Digamos que o relacionamento dela com o Channing não faça bem nem pra ela e muito menos pra Amy e pro Greg...

É isso... Comentem bastante viu? E divulguem o blog por mim :))) E o que vocês acharam desse capítulo? Me digam :)) Bejokas :*

8 comentários:

• Paula disse...

Eu nunca senti raiva da Vanessa, como estou sentindo agora.
Como assim?Ela só pode estar ficando louca.
Com certeza o Channing não é uma boa influência para ela. E o pior é que ela não está percebendo que tá afastando todas as pessoas que gostam dela de verdade.
O Zac é um ótimo pai e está disposto a fazer tudo para o bem dos filhos.
Amei o capítulo.
Posta logo
Bjos

Rafaela Diniz disse...

caramba,eu super amei o capítulo =D
bem feito pra Vanessa,tomara que ela se ferre com esse namoradinho de meia tigela que ela arrumou...
se ela não fizer questão de mudar,espero que o Zac consiga a guarda de seus filhos,porque eles não merecem uma mão como a Vanessa
posta mais,kisses

bia † disse...

serio também estou com muita raiva da vanessa. ela está fora de si, está completamente louca. como ela pode falar "Eu não pedi pra eles nascerem" que idiota. já o zac está sendo um pai maravilhoso, um amor.
espero que a vanessa sofra mesmo com esse namorado dela e que o zac fique com a Amy e o Greg, talvez assim ela aprenda a dar valor as pessoas que a ama. mas claro que desejo que ela volte a ser a vanessa doce e meiga de antes o mais rápido possível. eu amei o capitulo!

Liriane Melo disse...

Estou junto com as meninas. Vanessa está fazendo brotar raiva em todas nós. Zac merece ficar com os filho, pois Vanessa mesmo já provou que não quer eles ao seu lado.

Nina Ribeiro disse...

Nossa a Nessa exagerou as crianças não tem culpa de terem nascido!tomare que ela enxergue oq esse Channing realmente quer.

posta logo

bj bj

amanda disse...

Encontrei o blog recentemente e me apaixonei pela história, só não aprovei essa revira volta, não se trata da Vanessa ser meiga e dócio.... em todos os capítulos não se cansou de fazer de tudo pelos bebês. Quando o Zac em momento algum poderia dar lição de moral ou se achar um bom pai.
Channig ok pode não ser boa pessoa, mas em momento algum a Vanessa descrita em 30 capitulos combina com essa desse. Não sei se estou sendo altamente crítica, mas é que as vezes com o costume de todas as histórias o Zac consegue ser o bonzinho e até perdoado mais rapidamente... quando na minha opinião não passou por uma transformação...a unica diferença da época em que namoravam ate agora são os filhos..

E de verdade vc ja provou ser uma ótima escrita e me apaixonei em ler-las só que esse capitulo me deixo confusa

Att,

Amanda

Anônimo disse...

Menina cade vc diaxo??????kkk
ta muito muito muito boa sua historia, to amando vc ter voltado e imaginando como serão os proximos capitulos.. aparece ai ne kkk

Anônimo disse...

nossa nem parece a van, sabe de uma coisa, axo q ela merecia ficar sem as crianças pelo menos por um tempo e elas descem um gelo nela (malvada kkk) pra ver se ela se toca, esse namoradinho é um banana af kkkkkkk
ansiosa pela continuação,
posta logo, bj


up